18/01/2016 00h49 - Atualizado em 18/01/2016 00h52

Algumas dores chamadas neuropáticas (ou seja, secundárias a lesões do sistema nervoso central ou periférico) são de tratamento bastante difícil. Medicamentos (antidepressivos, anticonvulsivantes, neurolépticos, opióides) são a primeira linha de tratamento.
Quando estas medicações falham, existe a possibilidade de controle da dor com o implante de um neuroestimulador medular, uma espécie de um "chip" (ou eletrodo) implantado cirurgicamente sobre a medula espinhal, que funciona como um marcapasso, enviando estimulos elétricos à medula que bloqueiam a sensação de dor. Este tratamento pode aliviar em até 80% a intensidade das dores crônicas de origem neuropática, reduzindo a quantidade de medicamentos necessários e melhorando significativamente a qualidade de vida.

Pacientes que já se submeteram a cirurgias na coluna e não obtiveram melhora da dor (a chamada "sindrome pós laminectomia"), também são candidatos a este tipo de tratamento.

 

por Dr. Luis Gustavo Ducati