04/11/2014 15h04 - Atualizado em 18/11/2014 19h13

       Plagiocefalia é um dos termos usados para descrever as alterações no formato de crânio significa cabeça oblíqua. A plagiocefalia pode ser causada pelo fechamento antes do momento adequado de uma das articulações do crânio ( sutura).  Mas vamos abordar uma alteração frequentemente encontrada atualmente: a plagiocefalia posicional que é causada pela posiçionamento prolongado cabeça em uma mesma posição. Bebês que se habituam a dormir ou que ficam muitas horas na mesma posição, comprimem continuamente a mesma região do crânio.  O apoio constante contra uma superfície (berço, bebê conforto ou cadeirinha) atrapalha o crescimento do crânio naquela região que é compensado por um maior crescimento nas outras regiões. A alteração mais visível é o achatamento da região occipital (parte de trás da cabeça) principalmente em um dos lados. Se a posição do bebê não for alternada , esta alteração pode progredir e poderá ser notada uma assimetria  na região frontal (testa), nas órbitas e  na posição das orelhas .

    O pediatra poderá  verificar se há algum fator a mais que leve o bebê a ficar sempre na mesma posição, como um torcicolo, por exemplo. Quando solicitada a avaliação do neurocirurgião iremos diferenciar entre a plagiocefalia posicional e aquela provocada pelo fechamento precoce das suturas (craniossinostose). Após o diagnóstico orientaremos quanto as mudanças de posição , fisioterapia para os pacientes com torcicolo e órteses quando necessário.

    A mudança de posição do bebê desde os primeiros dias de vida  previne o achatamento da cabeça e deve ser orientado já na saída da maternidade.

 

   por Dra. Michele  Madeira Brandão. CRM 81.680.